Fogo negro em Faerun

Um covil no mar
Arco 3

Em meio à viagem ao norte, a embarcação é cercada por tritões e sereias e a líder, saltando do mar para o convés, exige falar com o capitão. Ragna’Kar pede que todos não ataquem e ouve o que ela tem a dizer. É um pedido de ajuda, Ari’lael, General do mar do norte diz que sua raça vem sendo massacrada para estranhos rituais em uma ilha escondida pela névoa. Ragna’Kar decide ajudá-la para mostrar seu respeito pelo mar e ter boa sorte.

Ao encontrarem a ilha, navegando pela névoa em alto mar, descobrem ser um covil de bruxas, tritões presos e mortos são encontrados em vários lugares e símbolos nas rochas escritos em um tipo de língua gigante não parecem fazer muito sentido com tudo que está acontecendo. Annathar Nephadius começa estranhamente a sentir e ver alguns fios de trama mágica, coisa que não acontecia desde a morte de Mystra, desde o início da Spellplague e numa busca que quase destrói a mente de Ragna’Kar, eles salvam os tritões prisioneiros e matam 2 das 3 bruxas do covil. Ari’lael os agradece oferecendo-lhes proteção pelos mares e uma chave mágica que diz ser para a grande fortaleza das montanhas da espinha do mundo, para onde devem se dirigir.

View
Uma vitória, uma morte e uma perda
Arco 2
Mesmo presa à parede, Liz Sunlight se conecta a outro plano através de uma breve prece e seu corpo desaparece deixando os grilhões vazios e aparecendo do outro lado da enorme caverna. Ela segura a gema de aprisionamento e com apenas um toque no chão, um círculo se forma, onde ela deposita a gema e inicia um tipo de ritual. Yeenoghu se enfurece e se prepara para atacá-la e todos vêem que precisam protegê-la. A luta é tensa e difícil, os recursos se esgotam ao máximo, As cicatrizes e marcas deixadas pelo lorde demônio ainda enfraquecido vão além do corpo dos heróis mas no final, conseguem contê-lo até que sua essência é sugada e aprisionada. Numa última forma de provocar o caos, o lorde Gnoll traça um golpe à mãe de Angell, ainda desacordada na cama. Futuri se recorda de um item entregue à ele por Gaspard, pai da Angell com o seguinte pedido: “Caso minha esposa vá perder a vida, coloque isso nas mãos dela” e então ele corre para atender ao pedido do rei. Quando o artefato encosta nas mãos da rainha, seu corpo é instantaneamente substituido pelo de Gaspard que sofre o ataque e morre segundos antes de Yeenoghu desaparecer.

O sonho termina, Gaspard está morto em sua cama e a rainha acorda finalmente atordoada e sem entender o que aconteceu. Pela janela é possível ver Neverwinter destruida com estacas de pedra que sobem do chão em diversos lugares. Casas, lojas, ruas e mesmo a própria geografia da cidade modificada caoticamente pela força do demônio que habitou e lutou ali. Após as condolências pelo rei morto, a rainha passa seu mandato e por opção, seu herdeiro mais velho o passa à Angell, que agora assume como rainha do reinado halfling, anexo à Neverwinter, com seu rei Alderan Draenor. Nesse momento, todos entendem que não há como uma rainha seguir a vida de aventureira e percebem que ela ficaria ali. Como recompensa por salvarem a cidade e sua mãe, Angell usa parte das posses reais e presenteia o grupo com uma embarcação, como havia prometido há muito tempo para Ragna’Kar.

Na primeira visita ao barco, Ragna’kar encontra uma amiga, perdida desde que seu navio fora tomado e destruido. Caelyn “Coração gelado” que supostamente estava morta, diz ter ficado desacordada por anos e algum tipo de chamado havia a despertado somente agora. Na noite anterior a partida, Stu Bléerg desaparece do barco, e sem que ninguém saiba, vai até o castelo se encontrar com Angell.
O sol nasce na manhã seguinte com um rugido ecoando pelos ares e chamas subindo por trás da espinha do mundo. Todos se entreolham e de certa forma, por mais aterrorizante que seja, sabem que a próxima parada deles deve ser ali. Terminando de organizar a embarcação que segue agora com o simbolo e proteção de Bahamuth em suas velas, partem para o norte com o mesmo número que estiveram antes, porém sem Angell.

View
Sonhos profundos
Arco 2

Após acordarem do sono induzido, Ragna’Kar se enfurece de ter deixado Zenith escapar, corre até o quarto onde ele permanece catatônico e atravessa seu tridente no peito do velho, uma grande correria começa com o rei mandando prendê-lo, guardas o segurando e Futuri chegando próximo ao corpo e rapidamente, com uma prece a Lathander, fecha o ferimento trazendo seu corpo ao estado normal. Uma discussão começa pois a reinado quer que Zenith fique vivo para responder perguntas sobre o que está havendo no mundo, mas a maior parte do grupo parece querê-lo morto.
Breath se coloca á frente de Ragna’kar e acaba sendo preso junto. A noite avança cada vez mais, e em Neverwinter, o sol aparece apenas por algumas horas e enquanto todos não descansam, a sensação é de tensão e raiva.
Futuri conversa com o rei para que liberte seus amigos e consegue sua aprovação desde que se responsabilize e garanta que Zenith não será atacado novamente. Angell entrega o rubi, agora completo, para Liz Sunlight.

Após todos descansarem, Ragna’kar e Breath são soltos para realizarem o ritual novamente, enquanto Liz faz sua oração segurando o rubi e todos aguardam deitados, as paredes da mansão vão ficando decrepitas como se a madeira estive envelhecendo anos mais rápido, as luzes das tochas vão bruxuleando como se algum vento misterioso tentasse apagá-los e a podridão das paredes passam para o chão, vão envolvendo o quarto até que a clériga Liz simplesmente cai no chão inconsciente.

No plano astral, eles acordam flutuando e voando por cima de um mar revolto de noite, nas águas profundas, o que parecem ser almas tentam aparentemente se erguer e alcançá-los, e o vôo continua até que eles avistam por fim, uma grande embarcação, uma cabeça de dragão é o formato de sua proa e as velas estão içadas e estendidas. Ragna’Kar logo começa a a se sentir nostálgico e lágrimas correm de seus olhos, é o seu antigo navio que está ali parado e assim que eles descem para o navio, ele perde seus tons, as velas desabam e passa então a ser uma embarcação abandonada, quebrada e deteriorada por inteiro. Das laterais do navio, aranhas pálidas saltam para dentro do convés os atacando. A luta não é simples pois elas desaparecem e aparecem em lugares diferentes como se pudessem se teleportar, mas após um tempo, conseguem vencer a batalha, eles entram na sala do capitão e veem mapas, instrumentos de navegação e várias outras coisas na mesa, como se alguém ainda estivesse usando aquilo tudo, o Dragonborn reconhece que tudo está da forma como ele havia utilizado em sua última viagem. O grupo então, decide ir em frente, abrem a porta do portão do navio e começam a descer as escadas.

Passando por um tipo de manto escuro, eles chegam em uma sala de uma casa, a antiga casa de breath, um círculo ritualístico no chão e correntes na parede o fazem sentir um profundo medo e ímpeto que o coloca abrindo a porta e correndo para fora da sala, todos correm juntos, através de uma cidade incendiada até a frente de uma alta construção com diversas janelas no segundo andar, onde, Yeenoghu e Ceci, em janelas diferentes, observam-nos lá em baixo. O corpo da irmã de Breath caido nas escadas que levam a porta de entrada. ele a segura e frenéticamente chuta a porta e entra sentindo sua irmã se desfazendo em suas mãos, os outros também correm com ele sem entender muita coisa do que está acontecendo e passam por mais um véu negro.

Chegam em uma floresta onde um ritual druídico está acontecendo, no meio do ritual, um dragão negro ataca os druidas com um fogo negro e mata todos, uma figura com um manto aparece e juntando sua magia com o o poder do dragão eles abrem um buraco no chão de onde um antigo esqueleto começa a tomar forma, carne, pele e escamas crescem e aparecem tornando-se um dragão verde enorme que voa para longe, a figura com manto os vê atrás das árvores e começa a conjurar uma magia, eles correm e o chão se abre fazendo-os cair em outro véu negro.

O grupo cai em uma caverna conhecida já, na mesma sala onde eles descansaram da ultima luta contra o lorde demônio dos gnolls, na sala onde eles não conseguiram desvendar o que as runas nas paredes escondiam porque Angell havia corrido de volta para casa. Agora, com todos ali eles conseguiram desvendar as runas, retirando magicamente de dentro da parede um tipo de cofre cheio de enigmas, foram horas tentando desvendar como abir a tal caixa, mas no final, chegaram em um pergaminho muito antigo, com um tipo de código numérico nele. Annathar Nephadius o guarda para si e seguem pela caverna a dentro, já que a saida estava completamente fechada. No caminho, as risadas dos gnolls iam preenchendo o local e no meio das passagens foram emboscados por muitos deles. Eram muitos para continuarem lutando, então, decidiram simplesmente abrir caminho e passar por eles. No final da decida toda, atingiram o ponto mais baixo da caverna, o hall onde antes, Yeenoghu e Ceci haviam lutado, o hall onde o dragão azul os havia perseguido e lá, Liz Sunlight pendia em uma parede presa, o rubi em outra parede em um tipo de soquete, a mãe de Angell, dormindo em sua cama, no meio da caverna e Yeenoghu andando de um lado para o outro no fundo por entre as enormes colunas.

View
Resumo das últimas sessões
Arco 2

-Angell foge pelo deserto com o grupo atrás dela tentando pará-la
-Os gnolls são detidos por um exército de Cormyr que, aliados aos alto elfos de Everaska, deixam que o grupo entre na cidade secreta após Angell se revelar princesa do reinado halfling.
-Durante sua estadia em Everaska, a cidade é atacada por sombras do império de Netheril, o general élfico e o regente da cidade morrem durante o combate, no entanto, Futuri abre mão de seu pergaminho de ressurreição para trazê-lo de volta a vida.
-Como agradecimento, o regente abre um portal dizendo levá-los diretamente à Neverwinter.
-Algo sai errado durante a passagem pelo portal e o grupo acaba entrando em Shadowfell.
-Uma figura de um garoto aparece, atendendo pelo nome de Dracon e diz que eles devem sair dali o mais rápido possível, indica uma antiga ruina que pode ter um portal para o plano material.
-Durante o caminho, enfrentam um grupo de assassinos Shadovar e resgatam um refém que há com eles além de conhecerem uma estranha figura que pede ao grupo escoltar o refém em segurança.
-No tempo que passam tentando passar pelas muitas armadilhas da antiga ruina, percebem que o refém, Dylan, possui algum problema com suas magias e não consegue necessariamente fazer o que quer fazer quando conjura alguma.
-Nas profundezas da antiga fortaleza, após matarem um Beholder zumbi que desintegrou a perna de Breath
-Breath, conduzido pela voz de Tempus, encontra um dos Machados mágicos que ele busca;
-encontram-se com o estranho, na frente do portal de passagem e diz que somente poderiam ir embora deixando Dylan com ele.
-Dracon aparece, se revelando como Hudraer, o dourado e enfrentando o estranho que na verdade é um mago vermelho de Thay. o grupo todo corre para o portal durante a batalha e Breath, segura e protege Dylan ficando assim vulnerável e sendo atacado no ultimo instante pelo mago.
-Breath se vê numa pedra de sacrificio e passa pela sua morte, logo após, Tempus e Gond aparecem conversando onde Gond constrói uma perna metálica para ele.
-Enquanto isso, o grupo, separado de Breath, chega ao pequeno reinado halfling, dentro de Neverwinter e descobrem que a grande cidade a cada dia tem menos tempo de sol e a noite dura cada vez mais e que durante a escuridão, muitas pessoas estão morrendo estranhamente dilaceradas.
-A mãe de Angell está deitada numa cama imóvel e seu pai vive esperando o dia que ela acordará deixando o reino de lado e definhando.
-Uma clériga poderosa, Liz, explica a situação para todos e cria um ritual para que eles possam entrar no plano astral, local onde Yeenoghu se escondeu, enfraquecido e agora angaria almas dos que ele mata para se fortalecer novamente.
-Angell descobre que o rubi que ela roubara antes, é na verdade, só metade do rubi e precisam encontrar a outra parte.

-entrando no plano astral, o rubi reage a alguma coisa agindo como se fosse um tipo de sinalizador, o grupo logo é atacado por fantasmas numa Neverwinter destruida e flutuante num mundo sem fronteiras e de céu colorido.
-Na segunda noite do ritual, eles estão na mansão da família de Angell e o rubi agora pulsa mais rápido ou mais lento dependendo da direção que eles tomam dentro do local.
-Dentro do escritório do pai de Angell, encontram um alçapão, com um lacre mágico onde embaixo, dentro de um baú protegido por diversas almas de guerreiros antigos acorrentados, a outra metade do rubi está guardada.
-ao pegarem o rubi, tudo vira um caos, gnolls e humanos se enfrentam do lado de fora e um dragão negro e um dourado se enfrentam nos céus, onde Yeenoghu pode ser visto caminhando entre as brumas se alimentando das almas que sobem até sua grande boca.
-No meio dessa confusão, Zenith enfrenta os gnolls tentando alcançar o portão de saída.
-O grupo corre para o portão e enquanto lutam contra tudo e todos que tentam alcançá-los giram as engrenagens que abrem o portão. A multidão se intensifica para fugir e Content Not Found: anathar faz um ataque massivo usando todo seu poder em Zenith, mas mesmo sangrando e mancando ele consegue passar pelo portão e foge no momento em que todo o cenário se descontrói e todos acordam novamente em Neverwinter.

View
O lorde Gnoll e uma rival a altura
Arco 2

Nas profundezas do covil, após a poeira baixar, o grupo se vê em um tipo de construção antiga, com mais de 10m de altura, colunas antigas erguidas por toda a extensão do grande salão e nas paredes, buracos escavados e escadarias tortas feitas na pedra que interligam um local a outro, uma risada estridente e retumbante enche o local e por trás das pilastras uma grande hiena aparece, gigantesca segurando um tipo de mangual com 3 pontas o gnoll rodeia o grupo aparentemente chamando suas crias, mais risadas se unem a dela, vindas dos túneis na parede e no momento em que todos partem em retirada, um portal se abre ao fundo, fazendo com que todos sintam arrepios. Do buraco aberto suspenso no ar, um dragão azul se mostra, olha para eles e diz em draconiano: “até que enfim os encontrei!” atacando-os logo em seguida com um enorme raio.

No susto, todos se protegem com os braços, o Clérigo toma a frente resistindo ao medo, ergue seu escudo com o símbolo de Lathander e ouve um estrondo vindo da sua frente, ao abrir os olhos, vê o raio se dissipando em um escudo maior a sua frente, a divindade pairava ali, de armadura completa, escudo e maça erguidos e olhando para todos diz, vão embora enquanto podem, aqui não é lugar para vocês!

O grupo sai correndo por dentro de uma das portas derrubando gnolls enquanto do grande salão, um enorme barulho de como se tudo estivesse desmoronando ecoa pelos túneis. Entram e saem de por várias reentrâncias na parede, subindo cada vez mais, o dragão azul atacando-os freneticamente toda vez que eles aparecem e o grande gnoll, Yeenoghu, lorde demônio dos gnolls agora luta contra uma Succubus do mesmo tamanho que ele, a já conhecida de Futuri, o clérigo, Cessi. a mesma que havia feito o acordo com ele em sua infância. Ele desacredita de vê-la ali daquele tamanho mas segue em frente tentando sobreviver. Ao atingirem um local onde podem ficar razoavelmente protegidos das baforadas de raio do dragão, investem contra ele quase sem afetá-lo apesar de acertarem praticamente todos os golpes. Em certo ponto da subida, avistam pequenas construções como se fossem um tipo de contraforte pequeno de onde vêem luz natural vindo de uma escadaria e correm. Ao perceber que eles fugiriam, Yeenoghu salta contra eles, acaba com o dragão e bloqueia a passagem olhando-os com ódio por escaparem e por terem matado tantos gnolls, Cessi investe novamente contra ele já muito ferida e o grupo se vê sem saída.

Outra succubus aparece ao lado de Cessi, do tamanho de um humano, e assim que ela aparece, Yeenoghu simplesmente para estarrecido por vê-la, seu olhar é de desespero e loucura e a deixa é aproveitada por Cessi que abre um portal atrás dele, Melcanteth a lorde demônio Succubus começa a enviá-lo para dentro do portal e com metade do corpo já engolido, ele começa a olhar nos olhos de cada um enquanto se segura às pedras com sua poderosa arma. Enquanto olha para cada um, seu olho reflete coisas pessoais… Futuri ve a plantação de sua família devastada, seus pais mortos, Content Not Found: anathar vê luz e sombra ao seu redor enquanto ele está no meio, dividido por cada uma delas, Breath vê um barco a deriva, com ele quando criança sozinho desmaiado dentro, Ragna’Kar se vê sozinho, numa praia, um grande navio em chamas em alto mar e vários ovos de dragão destruidos ao seu redor, Stu Bléerg vê seu antigo templo vazio, em ruinas e Angell vê sua família sentada à mesa, jantanto e felizes conversando.
Durante a visão, ela vê a sombra de um gnoll atrás de sua mãe, a sombra se funde com ela que desmaia e o restante da família corre em seu auxílio. Quando eles se dão conta, Yeenoghu sumiu e as Succubus entram pelo portal indo embora no momento em que tudo começa a desmoronar.

Eles se refugiam no contraforte, em uma sala com um tipo e cofre na parede, fechado por runas mágicas numa sala cheia de livros e anotações em um idioma muito antigo, enquanto eles tentam decifrar aquilo, Angell fica desesperada pela sua mãe, e sai correndo pelas escadas com somente uma coisa em mente, ir pra casa. O grupo não a vê sair mas assim que percebem a falta dela, correm atrás dela temendo o pior.

No fim da escadaria, saem no chão de uma velha casa de madeira no meio do deserto, vêem Angell correndo pela areia já longe, flechas voando contra ela, gnolls correndo e então, eles começam a perseguição à Halfling.

audrey-lopez-temple-cave-final-300.jpg

View
A longa e difícil caminhada à Netheril
Arco 2

O grupo sai da Floresta Alta e inicia uma longa jornada pelo deserto do antigo império de Netheril, o lugar é desolador, quente, seco e o horizonte oferece uma eterna visão da praga mágica formando uma tempestade de de um tom azul escuro.

Durante um dos acampamentos, Futuri tem a visão de Cessi o chamando enquanto seus amigos, que arrumam as coisas para continuar a viagem, percebem que em baixo da areia na qual caminham, corpos mutilados foram descobertos pelo forte vento noturno. Futuri, focado em seguir Cessi, não percebe e não dá ouvidos a ninguém, sai em direção da succubus, seus amigos, sem nada ver, não entendem porque o clérigo está tão apressado e partindo. Se entreolham e na dúvida, decidem segui-lo.
A caminhada os leva até um grande desfiladeiro, com estruturas e pontes de madeira presas em toda a encosta da pedra, formando uma fenda profunda. Nas estruturas, Gnolls andam de um lado para o outro guardando o local. Em pouco tempo, gnolls batedores que voltavam de uma ronda, os vêem e alertam a aldeia toda, uma luta começa que os empurra para as pontes, a descida é perigosa e para se livrar da enorme emboscada e flechas que voam entre as pontes, são obrigados a entrar em uma das cavernas. lá dentro, lutando contra os gnolls e descendo cada vez mais, se perdem e enquanto o grupo não consegue encontrar um caminho de volta, Angell encontra um rubi rachado e o guarda consigo sem que ninguém veja, no entanto, retirar o rubi de seu local aciona um tipo de dispositivo que faz o local todo estremecer e em pouco tempo o chão cede levanto todos por uma enorme queda escorregadia até que sentem um baque muito forte e são engolfados pela fumaça dos escombros.

View
Festa de coroação
Arco 1

Talasir reforja a espada Moonblade e Helvec promove uma comemoração oficial de sua coroação. em meio aos cidadãos que aplaudem e outros que sussurram seus anseios pelo novo rei Drow dois sujeitos que destoam dos demais são vistos passando entre os convidados. Angell logo percebe que aquilo não pode ser bom e prevê as intenções destes que não foram convidados para a festa. Corre em meio a todos enquanto seus amigos, percebendo seus movimentos vão se aproximando do rei pela multidão. Com um salto e um brilho de sua lâmina no ar ela chama a atenção de todos acertando um dos estranhos nas costas e uma luta se inicia com os aventureiros tentando parar os dois sujeitos enquanto estes, aparentemente sem se importar com as investidas, fazem de tudo para assassinar o rei.

Seus esforços foram em vão e terminam no chão dos salões reais sumindo em meio a uma fumaça escura que envolve seus corpos. “Shadovar como os chamam” diz o rei ferido pela lâmina de um deles, “assassinos de outro plano, do plano da escuridão” e a festa termina com cada um indo para sua casa e a guarda de prontidão enquanto a ferida do rei é cuidada.

Os aventureiros passam o dia buscando informações úteis na biblioteca da floresta e com os habitantes de lá, Breath, o bárbaro encontra a provável localização de uma das armas que tanto busca, fica tão maravilhado a ponto de simplesmente se colocar a caminho da estrada e partir sem seus amigos.

Futuri, o clérigo, em suas meditações e pedidos de ajuda a Lathander, recebe uma visão de um mundo em chamas, demônios soltos e tentando agarrá-lo com suas garras pútridas de carne viva, caos e desolação, o desespero toma conta do devoto da deusa da esperança que logo avisa a todos da sua visão.

Dragões reaparecerem em Faërun já é um fato que causa estranhamento em todos e agora muito mais com as visões e chamados constantes de Lathander e Bane, além da aparição dos demônios nos sonhos e na vida real de Futuri.

1114983555fullres.jpg

View
A espada chega em segurança
Arco 1

Após a luta com a Mantícora, guardiã do portal, entram pela passagem mágica que se forma no semicírculo, em um lugar estranho, um templo dourado sob ataque dos acólitos de Bane que queima à frente de um gigantesco dragão negro caolho. Á medida que o grupo se aproxima do templo, o dragão os observa sem fazer nada e ao entrarem, são surpreendidos por 4 seguidores de Bane que por pouco não matam todos.

O Deus dos mortos aparece novamente numa forma humanoide enorme feita das cinzas dos mortos e com muita raiva, grita, trazendo o dragão a destruir a abóboda do templo dourado. Todos correm para a floresta, são golpeados por algo que o dragão soprou e desmaiam. Acordam no mato, próximo ao tempo destruído, mas sem sinal de inimigos por perto. Após consultar o mapa, decidem seguir para a floresta alta com Talasir, que guarda a espada e gema do rei élfico.

Enfim, Helvec, o rei élfico recebe a espada Moonblade e a gema com parte de sua alma e de seus ancestrais de volta. Talasir parte para as forjas élficas para colocar espada e gema juntas novamente.

Os heróis podem finalmente descansar… mas até quando?

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.